De velhas raizes minhas,

umas vivas, outras mortas,

retirei ervas daninhas

p’ra poder abrir mais portas.

Outros blogues:
http://www.worldartfriends.com/pt/users/maria-letra
http://www.recantodasletras.com.br/escrivaninha/

segunda-feira, 11 de abril de 2011

O AMOR DUM AMIGO

 
Um oceano encrespado,
Um amor acabado,
Um ombro de amigo,
Um porto de abrigo.

Uma mente que conta
Uma história … Que tonta!
Um Passado infeliz.
Um amor que desfiz.

Um presente que acalma,
Uma pena na alma.
Uma dor que não sinto.
Um coração faminto.

Um amigo fiel,
Um abraço de mel,
Um luar que morreu,
Um amor que nasceu.

Maria Letra
Abril de 2011
Enviar um comentário