De velhas raizes minhas,

umas vivas, outras mortas,

retirei ervas daninhas

p’ra poder abrir mais portas.

Outros blogues:
http://www.worldartfriends.com/pt/users/maria-letra
http://www.recantodasletras.com.br/escrivaninha/

domingo, 17 de abril de 2011

O TEMPO


O tempo gasta-se,
tal como a nossa paciência,
mas é um segredo do tempo
a grande conveniência
de saber esperar.
O tempo aflige,
tal como o choro duma criança,
mas é um segredo do tempo,
pesar numa balança,
o possível e o desejável.
Dar tempo ao tempo
pode ser o mais aconselhável.
O tempo corre veloz,
mas é um segredo do tempo
podermos dar corpo à voz,
de todos nós, pelos que sofrem.
O tempo é professor.
Deixemos que ele nos dê
mais lições, onde o amor
seja a palavra de ordem,
para que o mundo não acabe
numa grande desordem.
O tempo não é nosso,
Foi-nos cedido
por anos, meses, ou dias ...
Ele não deve ser perdido.
Saibamos aproveitá-lo
com sabedoria,
senão ... corremos o risco
de não podermos usá-lo.

Maria Letra
Abril de 2011
Enviar um comentário