De velhas raizes minhas,

umas vivas, outras mortas,

retirei ervas daninhas

p’ra poder abrir mais portas.

Outros blogues:
http://www.worldartfriends.com/pt/users/maria-letra
http://www.recantodasletras.com.br/escrivaninha/

sexta-feira, 29 de abril de 2011

TEMPO SEM RETORNO


Gostaria que tu fosses pequenina
E saltasses, feliz, para os meus braços,
Traquininha e com gestos de menina,
Enchendo-me de beijos e abraços.



Recordo o tempo em que, toda atrevida,
Me pregavas partidinhas inocentes,
Salpicando de amor a minha vida,
Quando brincávamos, ambas, tão contentes.

Maria Letra
Abril de 2011
Enviar um comentário