De velhas raizes minhas,

umas vivas, outras mortas,

retirei ervas daninhas

p’ra poder abrir mais portas.

Outros blogues:
http://www.worldartfriends.com/pt/users/maria-letra
http://www.recantodasletras.com.br/escrivaninha/

sexta-feira, 9 de novembro de 2018

NEM DESISTO... NEM CAIO!


NEM DESISTO... NEM CAIO!

Sou folha colorida... num Outono frio,
oscilando num ramo onde já fui vida.
Permaneço ocupante de um espaço vazio
Recusando tornar-me uma folha caída.

O meu balançar é balanço morto.
Perdi toda a força que a vida me deu.
Meu pecíolo preso àquele ramo torto
ameaça soltar-se desde que nasceu.


Contudo, acusando um carácter teimoso
no espaço vazio que agora é ventoso,
oscilo agarrando-me aquilo que eu amo.

Vai longe a beleza que tem cada Maio.
Mantenho-me assim... nem desisto, nem caio...
e enquanto suspensa, meus versos declamo.

Maria Letr@

quinta-feira, 1 de novembro de 2018

sábado, 27 de outubro de 2018

SEM MORADA CERTA


TARDE DEMAIS


VIVES EM MIM!





Jazem em mim amordaçadas esperanças
gélidas, sem cor. Passaram a lembranças
no dia em que partiste, feito orgulho,
mas é nelas que, por vezes, eu mergulho.

Eu sei que é doentia esta recordação
dum passado tanto vida quanto solidão...
Sobrepõe-se a tudo quanto me corrói,
um grande Amor que o tempo não destrói.


Eu sei que a minha frágil resistência
já pouco poderá, em realidade,
contra o desgaste recôndito da idade.

Mas prefiro abraçar-me à tua ausência
do que anular em mim todo um passado!
Não estás... mas imagino-te ao meu lado.

Maria Letr@

quinta-feira, 18 de outubro de 2018

PORQUÊ O MEU REGRESSO A ESTE BLOGUE


Durante bastante tempo estive afastada das páginas onde publicava o que ia escrevendo - nomeadamente esta - tendo dado, erradamente, preferência à que havia criado, em 2009, no Facebook. Dada a minha falta de tempo, era penoso para mim publicar em várias páginas ao mesmo tempo e o Facebook permitia-me reunir, numa só página, não só o que queria publicar, mas também o benefício de manter um permanente contacto com familiares e amigos. E porquê erradamente? Porque dei preferência a um site de comunicação social que -  hoje sabemos todos - nem é seguro, nem é fiável. Por esta razão, lamento tê-lo feito, por outra proporcionou-me o prazer de estar em permanente contacto com esses amigos e com esses familiares, bem assim como ter descoberto o paradeiro de outros dos quais a vida me havia separado.

Quando comecei a ter conhecimento do lado mau do Facebook, arrastei comigo, durante bastante tempo, a indecisão sobre se deveria continuar a servir-me desse site. Chegou, contudo, o momento de tomar uma decisão e, portanto, a partir de 13 de Novembro de 2018, deixarei de publicar no mesmo e começarei, de novo, a marcar presença nos sites que havia deixado, muito embora sem intenção definitiva.  

RECOMEÇAR


Quando alguém recomeça uma nova etapa na sua vida, teria fechado, ou interrompido por algum tempo e por qualquer razão,  uma outra anterior. Na sua mente teriam ficado boas e más recordações anteriores as quais, de alguma forma, ter-lhe-iam deixado marcas das várias vertentes em que esteve envolvido/a, umas boas, outras nem tanto. Porém, inevitavelmente, deverão tê-lo/a alertado para a necessidade de filtrar cada um dos seus projectos futuros, bem assim como de travar uma certa dose de precipitação que possa ainda existir quando abre “novos horizontes”, sem ponderar sobre eles. Será de louvar, no entanto, ter adquirido resistência e coragem para RECOMEÇAR.