De velhas raizes minhas,

umas vivas, outras mortas,

retirei ervas daninhas

p’ra poder abrir mais portas.

Outros blogues:
http://www.worldartfriends.com/pt/users/maria-letra
http://www.recantodasletras.com.br/escrivaninha/

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

UM POEMA À MINHA 6.ª NETA

SOU ASSIM:

Me desperto.
Reclamo.
Ora grito,
Ora amo.
Me levanto,
Me arranjo,
Sou diabinho,
Sou anjo.
Ora brinco,
Ora abraço.
Ora deixo,
Ora maço.
Quando como,
Me engasgo,
Mas não morro
De pasmo.
Sei amar
Quem me ama
E me deita
Na cama.

Tudo isto
É a Bea,
Para quem
Não sabia.
Um amor
De menina,
Uma boneca,
Um ió-ió,
A loucura
Da Avó.


Maria Letra
V.N.G., 30-06-2004
Enviar um comentário