De velhas raizes minhas,

umas vivas, outras mortas,

retirei ervas daninhas

p’ra poder abrir mais portas.

Outros blogues:
http://www.worldartfriends.com/pt/users/maria-letra
http://www.recantodasletras.com.br/escrivaninha/

domingo, 13 de dezembro de 2009

REJEIÇÃO

Dediquei a minha vida
A dar, a dar, por Amor.
E quando não pude mais,
Já nada de mim havia ...
Disse NÃO à tirania
Que fez de mim o que sou.
O meu corpo se cansou,
Mas nele existe a Mulher,
Que pecou por perdoar,
Sem conseguir esquecer,
Que conserva o coração,
Que fez tudo por carinho
E nunca por compaixão.
Fui amiga e companheira,
A minha alma era sã.
Se fui Mulher no passado,
Sê-lo-ei mais amanhã.


Maria Letra
Fotografia de Miguel Letra
Enviar um comentário