De velhas raizes minhas,

umas vivas, outras mortas,

retirei ervas daninhas

p’ra poder abrir mais portas.

Outros blogues:
http://www.worldartfriends.com/pt/users/maria-letra
http://www.recantodasletras.com.br/escrivaninha/

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

UM POEMA À MINHA 7.ª NETA

Avança p'ró futuro, sem olhares
O que, atrás de ti, irás deixar.
Na tua frente encontrarás a vida,
Para trás, uma história p'ra contares.
Tenta aprender como é que irás curar
A tua alma, sempre que ferida.

Não te envergonhes dos erros que fizeres.
Farão parte daquilo que serás.
Sê tolerante e amiga. Sê leal. 
O teu valor estará no que aprenderes
Em cada estrada, onde puseres os pés,
Sem perceberes o mal que te farás.
Peço ao meu Deus que guie as tuas estradas.
Fazes parte do livro que hoje leio
Com a mente serena, sem rancor.
Eu espero bem, nas tuas caminhadas,
Tu respondas àquilo por que anseio:
Fazeres tudo na vida, por AMOR.

Maria Letra
Porto, Nov.º 2004


Enviar um comentário