De velhas raizes minhas,

umas vivas, outras mortas,

retirei ervas daninhas

p’ra poder abrir mais portas.

Outros blogues:
http://www.worldartfriends.com/pt/users/maria-letra
http://www.recantodasletras.com.br/escrivaninha/

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

BUSCANDO PALAVRAS

Puxo pela minha cabeça,
buscando inspiração
p'ra construir um poema
saído do coração.
Não creiam que me apeteça
falsear, encher de côr
o que é hoje um frágil tema:
A real palavra "AMOR"!

Palavras? Encontrei muitas,
de mil afetos bem cheias ...
Desejos, votos expressos,
umas e outras alheias
a verdades, não fortuitas,
que nos cansámos de ler
sem que vejamos progressos
em quem tanto está a sofrer.

Claro está que desejo
tudo o que possa criar
bem estar naqueles que padecem.
Mas não nos basta expressar.
É preciso ter traquejo
para arregaçar as mangas,
ajudando os que carecem,
isto é, quem está "de tangas".

E acabo este poema
sem saber o que dizer
a quem sofre. Vejam bem.
Como gostava de ter
capacidade suprema
p´ra poder ter o prazer
de dar a quem nada tem
menos "Dever", mais "Haver".

Maria Letra
Natal de 2011
Enviar um comentário