De velhas raizes minhas,

umas vivas, outras mortas,

retirei ervas daninhas

p’ra poder abrir mais portas.

Outros blogues:
http://www.worldartfriends.com/pt/users/maria-letra
http://www.recantodasletras.com.br/escrivaninha/

domingo, 4 de agosto de 2013

VIAJANTE SEDENTÁRIO

Sinto o teu sofrimento onde quer que tu estejas. Teus ais estão diluídos na água dos mares onde me banho e ouço a tua voz vinda com o eco dos ventos que chegam aqui, em busca de tudo, ou de qualquer coisa. Minha mão segura a tua, com cheirinho a Primavera.
Estarás sempre em mim.

VIAJANTE  SEDENTÁRIO

Viajante podes ser
mesmo que, tal como eu,
tu não possas viajar.
Basta quereres oferecer
um pouco do que for teu,
a quem está longe, a penar.
Dizeres que amas um Deus
sem que tu dês provas disso…,
de amá-lo, estás tu bem longe!
São teus actos e os meus
que devem provar-nos isso.
Hábito só, não faz monge.

MariaLetra
2013-08-04


Publicado hoje no Blog: "Viajantes Solidários"
Enviar um comentário