De velhas raizes minhas,

umas vivas, outras mortas,

retirei ervas daninhas

p’ra poder abrir mais portas.

Outros blogues:
http://www.worldartfriends.com/pt/users/maria-letra
http://www.recantodasletras.com.br/escrivaninha/

domingo, 18 de agosto de 2013

DEVE AO SALDO MUITO HAVER


DEVE AO SALDO MUITO HAVER

Há coisas que me atrofiam
e que detesto abordar,
por isso sempre me baldo
de as comentar.
Uma delas é o Deve,
que nos dá cabo do Saldo
sempre que o traidor Haver
nos deixa a carteira a arder.
Se essa coisa do Passivo,
aumentar em demasia...,
perdemos noites, sem sono,
e tanta, tanta alegria.
E se, entretanto, o Activo
já nem p’ro petróleo der,
porque a luz já foi cortada,
fica o malvado Passivo
dependendo de qualquer
milagre, vindo do nada.

Maria Letra
2013-08-18
Enviar um comentário