De velhas raizes minhas,

umas vivas, outras mortas,

retirei ervas daninhas

p’ra poder abrir mais portas.


terça-feira, 25 de junho de 2013

TRIBUTO À NATUREZA

Amo-te todos os anos!
Quando acordo a saltitar,
ou adormeço a chorar
de dor, ou de desenganos.
 
Amo-te todos os dias,
mesmo que estejas zangada
por te sentires mal tratada
por quem é cego. Sabias?
 
Amo-te todas as horas!
Tu és o Deus em que creio.
Tu és suporte, és esteio.
Tu és da Vida as esporas.
 
Amo-te em cada minuto!
Tu és a mais linda cor
na tela do meu Amor.
Tu és do Mistério um Fruto. 
 
Amo-te em cada momento!
Tu fizeste de mim filha,
mãe..., avó… Que maravilha…
Mesmo na Morte, és alento! 
 
 
Maria Letra
25-06-2013
Fotografia de Rui Videira
Ria de Aveiro


5 comentários:

chica disse...

Lindo amor assim declarado! beijos,tudo de bom,chica

Maria Letra disse...

Obrigada, fiel amiga. Perdoa o meu silêncio. Não tenho andado bem... Mas isto irá passar.
Beijinhos.

chica disse...

Vim agradecer o carinho e desejo que fiques logo bem! beijos,chica

Maria Letra disse...

Minha querida Bia, é uma praga generalizada de tal forma, que temo o que possa acontecer para conseguir-se o seu desmantelamento. Mas irá conseguir-se, "piano, piano", como se diz em italiano...

Maria Letra disse...

Muito obrigada, Chica. Um bom dia para ti. Bem mereces, nem que fosse apenas pelo tempo que dedicas a favor da criança. Bjs.