De velhas raizes minhas,

umas vivas, outras mortas,

retirei ervas daninhas

p’ra poder abrir mais portas.


terça-feira, 6 de dezembro de 2011

A CORRIDA DO TEMPO

A CORRIDA DO TEMPO

- Mais um Natal se aproxima,
  Como o tempo foi veloz!   
diz a criança que cresce  
aos seus já velhos avós,  
de quem ela subestima  
um sentir muito diferente:  
O tempo p’ra eles, decresce,  
cada dia é um presente.    

É que a criança que sente  
a sensação de corrida     
dum tempo a passar voando, 
vive feliz sua vida.
Ocupa o tempo presente  
com muita coisa que faz,  
mas o tempo vai passando 
sem voltar nunca p’ra trás.

Para quem já muitos anos
conta no seu caminhar
por este mundo que ama,
é comum o tolerar
defeitos sem muitos danos
e males com pouca virtude, 
porque o que espera, ou clama, 
não será mais que saúde.

Maria Letra
Dezembro de 2011

2 comentários:

BIA disse...

Oi Maria!!!

É mesmo... impressionante como o tempo voa, não dá para acreditar que mais um ano está chegando ao final, parece que foi ontem que o ano estava começando e agora já estamos terminando novamente, prontos para começar tudo de novo!!! Adorei “A corrida da vida”!!!
Bjs
Bia :)

Lázara papandrea disse...

e nós a corrermos tanto que nem nos damos conta que já é quase natal!