De velhas raizes minhas,

umas vivas, outras mortas,

retirei ervas daninhas

p’ra poder abrir mais portas.

Outros blogues:
http://www.worldartfriends.com/pt/users/maria-letra
http://www.recantodasletras.com.br/escrivaninha/

segunda-feira, 21 de março de 2011

SOU UM SER INCOMPLETO

A perfeição, não existe,
mas essa é a minha meta.
De tão exigente ser,
vou acabar incompleta.
Neste ser por acabar,
em que o meu coração crê,
há coisas que me completam,
aos olhos de quem me vê.
Por fora, sou assim mesmo:
Completa! Nada falta.
O problema é que, dentro,
há um senão que ressalta.
Ontem, fui boa pessoa;
anteontem, não sei bem;
Hoje, procuro ser
A mistura que convém.
Convém a quem de mim espera
qualquer coisa, não sei quê.
Por isso, eu sou um enigma
aos olhos de quem me vê.
Vê e acaba dizendo:
Esta aqui não está completa!
Tem um parafuso a menos,
ou é doutro planeta.
eta.
Maria Letra
Março de 2011
Enviar um comentário