De velhas raizes minhas,

umas vivas, outras mortas,

retirei ervas daninhas

p’ra poder abrir mais portas.


terça-feira, 15 de março de 2011

O REINADO DOS PAPÕES


Andam à solta papões!
Não se trata de miragem.
Eles não se chamam ladrões,
mas fazem o que eles fazem.

Comem muito, comem tudo,
fazem dos outros capachos!
E o que temem, sobretudo?
Que lhes roubem os seus tachos!

O papão mais manhosinho,
tem ar de muito matreiro
prosseguindo no seu caminho,
a tramar o país inteiro.

Há uns que roubam,  por fome;
outros, por ganância atroz.
Neste roubar  que consome,
quem se lixa? Somos nós!

Os que, por fome, roubaram,
são metidos nas prisões,
enquanto  os papões não param,
de comprar grandes mansões.

E neste deixar roubar,
de que todos nos culpamos,
nós não estamos a cuidar
da estrada em que caminhamos.

De filhos viramos pais;
de pais viramos avós;
de avós viramos culpados
dos erros de todos nós.

E neste “deixar andar”,
em que os papões, são vedetas,
estamos todos a deixar,
os nossos filhos pobretas.
           
Sem sabermos como e quando,
este roubar começou,
eles tomaram o comando,
e a nossa vida... piorou.

Maria Letra
2011-03-15

4 comentários:

chica disse...

Situação bem expressa em teus versos e pode-se ver claramente que muda o país, mas tudo é o mesmo! Linda poesia/critica!beijoschica

Maria Letra disse...

Obrigada pela tua visita e comentário, Chica.
Peço-te desculpa pela minha ausência do teu blog, mas tenho tido duas amigas em minha casa, e passei alguns dias fora de casa, de visita a monumentos ingleses, com uma delas, sobretudo. Bjnhs.

Adelaide disse...

Mas que grande verdade. Barrigudos e mamões. Vistos a olho nú vê-se que são grandes comilões.
Agora, Mizita, faz um poema ao contrário. Em vez de 3 gordos, coloca 3 ossudos e deixa-te ir por ainda adiante. Fico à espera, ok?
Já sei que vem um poema dos grandes. Nas Av. de Lisboa deviam ser colocados outdoors com essas duas fofografias lado a lado. Seria um sucesso!!!
Parabéns Mizita.

Beijos
Milai

Maria Letra disse...

Escolhi umas figuras tão arrepiantes quanto arrepiantes são os papões ......
Beijinhos, Milai.