De velhas raizes minhas,

umas vivas, outras mortas,

retirei ervas daninhas

p’ra poder abrir mais portas.


terça-feira, 26 de outubro de 2010

O MISTÉRIO DA VERDADE

O MISTÉRIO DA VERDADE

 Procura os porquês

desta confusa vida,

sem grande ambição

de chegares à verdade.

Veres, para além do que vês,

deixa de ser realidade.

Procura os porquês

desta confusa vida

sem grande ambição.

Lê no teu coração.

Veres, para além do que vês,

faz parte da ficção.

Procura os porquês

desta vida confusa

com muita simplicidade.

Nela reside o mistério

e a verdade.

 

Se, mesmo assim,

Nada conseguires ver,

Olha uma criança.

Ela é o segredo de viver.

Ela é a Esperança.

 

Maria Letr@

Londres, Maio de 2000

1 comentário:

Adelaide disse...

Maravilhoso poema. Parabéns Mizita.