De velhas raizes minhas,

umas vivas, outras mortas,

retirei ervas daninhas

p’ra poder abrir mais portas.

Outros blogues:
http://www.worldartfriends.com/pt/users/maria-letra
http://www.recantodasletras.com.br/escrivaninha/

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

PRESSÁGIO DE NAUFRÁGIO



 PRESSÁGIO DE NAUFRÁGIO

No silêncio do meu quarto
sinto um presságio sacana
que ameaça tempestade.
O meu coração está farto!
Está gélida a minha cama.
Terei eu capacidade
para aguentar o frio
que teima paralizar-me?
Enfrentar o desafio
exige muita coragem!


A minha alma se esforça.
Quero continuar lutando,
mas esta gelada aragem
não me deixa. Não sei quando
possa regressar calor
capaz de aquecer-me a alma,
dar consistência ao meu EU
e tanto, mas tanto Amor!
Impõe-se mantenha a calma.
Não desistirei, Deus meu!

Maria Letra
2015-01-27
Enviar um comentário