De velhas raizes minhas,

umas vivas, outras mortas,

retirei ervas daninhas

p’ra poder abrir mais portas.

Outros blogues:
http://www.worldartfriends.com/pt/users/maria-letra
http://www.recantodasletras.com.br/escrivaninha/

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

PERDÃO SEM LIMITE


Tenho uma prenda escondida
dentro do meu coração.
Não pude abrir no Natal...,
não sei bem por que razão.
Talvez não fosse o momento
de dar-lhe vida terrena.
Ficou só em pensamento,
duma forma assaz serena...
Eu não me sentia em Paz
para assumi-la com garra,
nem me sentia capaz
de soltar-me de uma amarra
que há tantos anos sentia.
Estava seca de tão velha.
Era muito doentia...
O coração me aconselha
abri-la para toda a vida,
lançando ao mar o passado
deixando, na despedida,
um pensamento gravado:


















Maria Letra
2014-12-31

Enviar um comentário