De velhas raizes minhas,

umas vivas, outras mortas,

retirei ervas daninhas

p’ra poder abrir mais portas.

Outros blogues:
http://www.worldartfriends.com/pt/users/maria-letra
http://www.recantodasletras.com.br/escrivaninha/

domingo, 4 de maio de 2014

MÃE



Mãe, onde quer que estejas,
estarás, certamente, em Paz.
Eu não quero que sejas
minha Mãe só neste dia.
Que diferença é que faz
haver um dia das Mães,
se sempre te amei,
cada hora, cada minuto,
sem data especial?
Durante anos e anos
meu Amor foi sempre igual.
Encheste-me de alegria,
porque tu “eras” e serás
para sempre, Mãe querida,
aquela que me deu a Vida.
Mesmo quando silenciavas
uma palavra, um conselho,
o que quer que seja, enfim,
eu sabia que tu estavas
atenta, pensando em mim.
Amar-te-ei sempre, Mãe.
Como tu...
jamais haverá alguém!

Maria Letra
2014-05-04
Imagem da net
Enviar um comentário