De velhas raizes minhas,

umas vivas, outras mortas,

retirei ervas daninhas

p’ra poder abrir mais portas.


quinta-feira, 21 de julho de 2011

A VOCÊS, MEUS BONS AMIGOS!














Desculpem-me por favor,
Isto que vos digo aqui,
Assim, sem qualquer engano.

Dedico a todos Amor,
Os dias todos do ano.

Assim, eu peço desculpa
Muito cá do coração.
 Iguais são todos os dias,
Gostando de vós! Então …
Ontem se foi … Hoje não!

Aproveitando, assim, o dia de hoje, ainda a decorrer, peço desculpa pela minha ignorância, até porque atravesso um momento em que estou a dar prioridade à maior amiga que tenho no mundo:  Minha Mãe querida! Essa acredita mesmo que os meus amigos podem contar comigo TODOS OS DIAS.

Maria Letra  
          

2 comentários:

Adelaide disse...

Muito, muito, muito lindo.

Grande poeta
Milai

Unknown disse...

Boa noite Mizita,
Muito bonito o poema, e digo consigo, dia do amigo é todos os dias!

Beijinho,
Ana Martins