De velhas raizes minhas,

umas vivas, outras mortas,

retirei ervas daninhas

p’ra poder abrir mais portas.


segunda-feira, 14 de junho de 2010

MINHA VIDA JÁ SEM JEITO ...

Em cada lágrima minha,
Que, lentamente, caía,
Ouvia um grito de dor.
Na minh’angústia, sózinha,
O meu coração sentia,
A falta do teu amor.
Agora sim, eu sei bem,
Que não voltarás aqui.
Meus longos anos de espera
Terminaram. Sou alguém,
Que reza, agora, por ti.
Nada mais é, como era.

Dentro do meu coração
Deixaste-me, em testamento,
Um amor p’ra toda a vida.
Partiu contigo a paixão,
Ficou comigo, um lamento,
E uma memória sofrida.
Levaste parte de mim,
Mas parte de ti ficou ,
Bem guardada, no meu peito.
Deste-me um amor, sem fim,
Uma só coisa te dou:
Minha vida, já sem jeito.

Maria Letra
14 de Junho de 2010
Imagem da net

13 comentários:

Tite disse...

Amiga,

Poema triste de amor e saudade mas... muito belo.

Então depois da agitação com a neta vem a poesia depurativa?

Não te esqueças que estás leve que nem uma pluma de tão magra ou transparente que nem uma pedrinha de cristal.

Faça favor de escrever coisas muito mais alegres, tá?

Beijosssssss

Maria Letra disse...

Há Dias Assim, amiga, Há Dias Assim ...
OBRIGADA pela tua visita, minha amiga.
Beijinhos.

Adelaide disse...

Querida Mizita,

Fizeste-me chorar, sabes!!!
Ai, ai, ai.
Concordo com a tua amiga Tite. Um beijinho para ela.

Esquece o passado e respira fundo no meio do arvoredo, atravessa um campo de papoilas, molha os pés no mar, cheira profundamente a maresia e refresca a tua face com a agua verde onde entraste com os teus pés pequeninos...

Beijos
Milai

chica disse...

Lindos e tristes versos, resultarma numa belapoesia!beijos,lindo dia por aí!,chica

Maria Letra disse...

Obrigada, Milai e Chica. Tal como disse à Tite, "Há Dias Assim", em que não estamos tão contentes ... Todavia, este poema não se refere a mim. Além disso, eu sou daquele tipo de pessoa que, se a bola falhou a baliza, chuto outra vez, até que entre. Quero dizer com isto que, quando chuto a tristeza e ela não quer deixar-me, arranjo forma de dar-lhe um chuto mais forte, fazendo o que a Milai me aconselha. Que ninguém me imagine triste, no meu dia-a-dia. A menos que haja uma fortíssima causa. Mesmo essa, tento sempre vê-la portadora duma razão pela qual ela acontece ...
Um grande, grande abraço.

Manuela Freitas disse...

OLá Amiga,
Gostei muito dos poemas, são muitos profundos, facilmente se torna familiar o que diz, porque sentir todos sentimos, expressar é que é mais difícil e a Maria expressa bem.
Desejo que se encontre melhor e que os problemas que a afectaram possam estar no bom caminho da superação.
Beijinhos,
Manuela

Maria Letra disse...

Muito obrigada, Manuela, pela visita e pelo comentário.
Os meus poemas, mais do que poemas, são desabafos. Faz bem ao espírito e ao coração.
Eu estou bem, Manuela, muito obrigada. Quanto aos problemas, fiz o que faço sempre: dou-lhes pouca confiança que é para não abusarem .... (lol)
Beijinhos e tudo de bom para si, amiga.

Pratos de Ouro disse...

Muito Boa Tarde.

É um prazer visitar o seu blogue. Estou por meio a divulgar o novo blog de crónicas entre outros assuntos da actualidade, com a opinião que terá um cunho meu. Sou blogger há varios anos, mas não vou divulgar os blogs que tive, quero que este tenha mérito próprio. Gostaria muito que colocasse o meu link e se possivel divulgue pelos seus amigos. Se o fizer, com certeza farei no meu humilde blog.

http://quadratura-do-circulo.blogspot.com/

Esta mensagem irá passar por alguns blogs que sigo.

Um abraço

Maria Letra disse...

Boa tarde, Joel e obrigada pelo seu comentário.
Farei o que me pede com muito gosto. Aguardarei, apenas, até que possa ver o seu blog pois, de momento, não consigo entrar nele, muito provavelmente porque o tem em construção.

Saozita disse...

Olá Mizita, lindo poema, com profundidade, intensidade com um travo de tristeza.
Gostei do seu blogue. Parabéns.

Beijinho

Sãozita

Maria Letra disse...

Obrigada, Sãozita. Tenho andado longe do blogue por questões de trabalho excessivo, mas brevemente voltarei a entrar no activo ... lol.
Beijinhos.

Tiago Braga disse...

Olá avó Mizita!
que bom vê-la sempre tão activa e participativa com blog e coisas do género!
Que bonito poema, muito tocante e cheio de emoções, muito bonito, um poema intemporal pois adapta-se a todos em certos momentos da vida,todos nós temos momentos assim e certamente "Há dias assim"!

bem saiba que recentemente abri o meu blog de fotografia, um blog que actualizo com frequência com muito carinho e ajuda de amigos, gostaria muito que o visita-se ( não me lembro se já lhe disse e se já o fez, portanto desculpe a insistência) mas adoraria tê-la como seguidora!

P.S.: se a escrita não for a melhor não se zangue comigo, sou um bocadinho tonto a estes respeito!

muitos beijinhos

Maria Letra disse...

Olá Tiago!!!!! Como gostei da tua visita. Muito obrigada.
Pois certamente que irei ver o teu blog com muito prazer, mas eu crei lembrar-me mesmo de ter visto umas fotos que tiraste, magníficas, não sei onde. Espero não estar enganada. Não incluiam uma onde alguém está a dar uma salto?
Dá-me o link, contudo vou tentar vê-lo já na tua página do FB.
Um grande abraço da
Avó Mizita