De velhas raizes minhas,

umas vivas, outras mortas,

retirei ervas daninhas

p’ra poder abrir mais portas.

Outros blogues:
http://www.worldartfriends.com/pt/users/maria-letra
http://www.recantodasletras.com.br/escrivaninha/

segunda-feira, 14 de junho de 2010

MINHA VIDA JÁ SEM JEITO ...

Em cada lágrima minha,
Que, lentamente, caía,
Ouvia um grito de dor.
Na minh’angústia, sózinha,
O meu coração sentia,
A falta do teu amor.
Agora sim, eu sei bem,
Que não voltarás aqui.
Meus longos anos de espera
Terminaram. Sou alguém,
Que reza, agora, por ti.
Nada mais é, como era.

Dentro do meu coração
Deixaste-me, em testamento,
Um amor p’ra toda a vida.
Partiu contigo a paixão,
Ficou comigo, um lamento,
E uma memória sofrida.
Levaste parte de mim,
Mas parte de ti ficou ,
Bem guardada, no meu peito.
Deste-me um amor, sem fim,
Uma só coisa te dou:
Minha vida, já sem jeito.

Maria Letra
14 de Junho de 2010
Imagem da net
Enviar um comentário