De velhas raizes minhas,

umas vivas, outras mortas,

retirei ervas daninhas

p’ra poder abrir mais portas.

Outros blogues:
http://www.worldartfriends.com/pt/users/maria-letra
http://www.recantodasletras.com.br/escrivaninha/

quinta-feira, 3 de junho de 2010

A CONTABILIDADE E A VIDA


Aqui, jaz
alguém que já nada faz,
nem, provavelmente,
fez alguma vez.
Na caixa que o encerra,
ficará até que a terra
o reduza à sua origem,
à sua expressão mais virgem.
Para ele,
o Deve e o Haver
já não têm Razão de ser.
Para muitos,
a Contabilidade
é uma necessidade,
uma afirmação
da sua situação
na vida.
O seu valor humano,
é directamente proporcional
ao valor
do seu Capital.
É um conceito desumano.
Mas é assim.
Contudo,
esse valor não é tudo.
É nada!
É a tua essência mascarada.
É um cálculo, errado,
que te fará passar
à categoria de depenado
se nada tiveres.
A vida tem um valor
de dimensão maior
e mais profunda,
nesta sociedade
moribunda.
Eu tento ignorar
estes valores mesquinhos,
em que abunda,
Perversidade,
Corrupção
e traição.
Vida ...
é um coração que bate,
que vibra,
que agita,
que sente
um amor ausente,
que jamais estará presente.
Eu sei onde está o valor
de cada um de nós,
mesmo sem Contabilidade:
está no amor,
pelos que sofrem.
Essa é que é a verdade!

Maria Letra
1986-Maio


Imagem da autoria de Miguel Letra

6 comentários:

Chica disse...

Maravilhosa poesia, cheia de verdade.O AMOR tudo faz e tudo muda!beijos,lindo dia,chica

Maria Letra disse...

Obrigada, Chica. Como é verdade o que escreveste no teu comentário ... Só é pena que cada vez se diga mais "amo-te", sem sabermos o que isso implica. Quando chega o momento de ser provada a dimensão desse amor ..., aí vêm as desilusões Seria melhor dizermos menos vezes e mais sentidamente.
Beijinhos. Vou aproveitar este dia extraordinário e vou tirar fotografias a Romford.

Tite disse...

Querida Avó Mizita,

Já te conhecia a faceta de boa contadora de histórias, de prosa bem alinhavada e escorreita. Agora esta de poetisa de Contas em dia com a Vida não te conhecia mas, devo confessar que adorei o estilo.

Um grande beijo de saudades e...
Parabéns!

Maria Letra disse...

Sempre muito gentil, minha querida Tite, mas vê-se bem que não sabes que morrerei Virgem .... (a sério????)
Como boa Virginiana, contas à vida é comigo! A minha contabilidade doméstica é controlada diariamente, não vá faltar-me o 'pilim' para comprar as minhas coisitas biológicas ....
Este poema foi feito num daqueles momentos em que comecei a pensar se valia a pena fazer tantas contas à vida .... E, zás! deu-me um vaipe especial e fiz o poema. Foi tal e qual como conto.
Beijinhos, amiga e obrigada pela visita.

Silenciosamente ouvindo... disse...

Tinha saudades suas, mas não queria
estar a ocupar-lhe tempo.Desejo
muito que esteja bem.
Obrigada pela sua visita e
pelas suas palavras.
Um beijo/Irene

Maria Letra disse...

Olá, Irene! Gostei muito de ir ao seu blog.
Obrigada, também, por ter-me visitado.
Ler-nos-emos mais vezes, espero bem, agora que a minha vida está mais calma.
Beijinhos.