De velhas raizes minhas,

umas vivas, outras mortas,

retirei ervas daninhas

p’ra poder abrir mais portas.

Outros blogues:
http://www.worldartfriends.com/pt/users/maria-letra
http://www.recantodasletras.com.br/escrivaninha/

sábado, 26 de fevereiro de 2011

QUERO SER LIVRE E FELIZ!


Nesta cidade que adoro,
Me desperto co'a esperança,
Me deito co'a solidão.
Quando mais não posso, choro.
Choro por não ser criança,
Choro p'los dias que vão.
Nesta cidade atulhada
De corpos em movimento,
Que a vida, aos poucos, apaga,
Eu quero ser namorada
Dum suave e doce vento
Que traz, que leva, que afaga.
Nesta cidade, Deus meu,
Imersa nos meus dilemas
E longe do meu país,
Quero sentir quem sou eu,
Sem amarras, sem algemas,
Quero ser livre e feliz.

 Maria Letra
Londres, 22.07.1999

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

O XADREZ E A VIDA



Analizem comigo
A diferença existente
Entre um homem são
E um homem demente.
O primeiro, amigos,
Usando a cabeça,
Com astúcia e com saber,
Joga o xadrez da vida,
Lutando p'ra não perder
E olhando cada peça
Como um bem a preservar.
O segundo,
Alheio às regras do jogo,
Vai andando neste mundo,
Sem jogar.
Move as peças sem consciência,
Faz delas os seus brinquedos,
Sem técnicas
E sem segredos.
Vai usando-as
P'ra defesa, ou para ataque,
Deslocando-as sem pensar
No cheque-mate.
Jogo inocente,
Sem motivação,
Depende daqueles
A quem chamam de "irmão".
Não conhece o adversário.

Como seria bom
Se, com o homem demente,
Cada um jogasse
Em sentido contrário ...


Maria Letra
Londres, Abril 1985
Imagem Stockvault.net

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

PORQUÊ?


Queria ter força, fugir,
Mesmo sem saber de quê.
Deixar o mundo, partir
Em busca dum tal “porquê”
Que nunca me dá descanso
E não deixa de seguir-me.
Quando me enervo, me amanso.
Já não quero mais trair-me.
Enroscada no meu “EU”,
Continuo a procurar-me,
Mas não me encontro Deus meu!

Maria Letra
Maio de 2006


segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

UN'AMICO IN PIÙ

Cosa devi fare
Per imparare il portoghese?
Non lo so ...
Vuoi che ti traduca?!
Non, non lo faró!
Impara tu, per saperlo.
Cosa aspetti?
Io, ho iniziato
Con la parola: spaghetti,
Come tutti gli straniere ...
Oggi, sono capace
Di dirti, alla mia maniera,
Grazie di averti trovato,
Sei un amico in più.
Pena averte lasciato
Senza sapere chi sei tu.
Chi sei stato?
Non m'interessa!


Maria Letra
Torino, Agosto del 1997

(ad un amico, amico vero, con un passato tristissimo)

domingo, 6 de fevereiro de 2011

SIM, SENHORES! VAMOS A ISTO!


O cristal da minha estrada,
desta estrada curta e estreita,
em que caminho abraçada
à esperança … e insatisfeita…,
está cada dia mais frágil,
cada dia mais quebrado.
E, porque estou menos ágil, 
podendo mal com o meu fado,
escrevo p'ra quem me lê,
pedindo olhe à sua volta,
o que mesmo um cego vê.                        
Andam demónios à solta.
Façam-lhes cerco, sem dó.
A Natureza, potente,
implora uma coisa só:
um AMOR mais consciente.
Não basta dizer que 'Sim!
Sim senhor', vamos a isto!
É preciso pôr um fim
em muita coisa que, insisto,
precisa de TODOS NÓS,
p’ra corrigirmos o mal
e não perdermos a voz,
neste nosso Portugal.
Maria Letra
Londres, 06-02-2011

Imagem de Stockvault.net