De velhas raizes minhas,

umas vivas, outras mortas,

retirei ervas daninhas

p’ra poder abrir mais portas.

Outros blogues:
http://www.worldartfriends.com/pt/users/maria-letra
http://www.recantodasletras.com.br/escrivaninha/

sábado, 10 de março de 2012

APATIA SUBMISSA

2 comentários:

Ana Martins disse...

Mizita, boa noite!
O que mais me entristece mesmo, é constatar que esta apatia submissa de que fala no poema, existe mesmo e está-se alastrando.

Parabéns por este alerta poético!

Beijinho,
Ana Martins

Maria Letra disse...

Obrigada, Ana Martins.
Escrevi sobre uma verdade que, lamentavelmente, nos atormenta. Quem pode ficar indiferente a ela? Há certos momentos - e, infelizmente, são alguns - em que me sinto tão INconformada, que sinto absoluta necessidade de desabafar e é na poesia que revelo este meu estado, já que não o faria com os amigos tantas vezes quantas aquelas em que sou "atacada" por este estado de espírito...
Bjnhs, amiga.