De velhas raizes minhas,

umas vivas, outras mortas,

retirei ervas daninhas

p’ra poder abrir mais portas.

Outros blogues:
http://www.worldartfriends.com/pt/users/maria-letra
http://www.recantodasletras.com.br/escrivaninha/

sábado, 24 de março de 2012

FOME OU MISÉRIA?

Nas tuas mãos rugosas,
calejadas,
vejo mil sonhos por realizar,
mil promessas amorosas,
impensadas,
mil tormentos enfadonhos,
a magoar.

Um quadro sem vida
e sem cor,
e uma vontade teimosa,
insaciável,
de não te dares por vencida
nessa dor cuja causa,
vergonhosa,
é intragável.

Gostarias de ultrapassar
 algo que te morde,
te remorde,
te consome cada artéria,
a que muitos chamam Fome,
outros dizem ser Miséria!

Maria Letra
24/03/2012

Enviar um comentário