De velhas raizes minhas,

umas vivas, outras mortas,

retirei ervas daninhas

p’ra poder abrir mais portas.

Outros blogues:
http://www.worldartfriends.com/pt/users/maria-letra
http://www.recantodasletras.com.br/escrivaninha/

terça-feira, 28 de maio de 2013

O PALAVRÃO! Sim, ou não?

 

Como é possível calar
bocas que lançam p’ró ar
calúnias e palavrões…,
ditos sem qualquer respeito,
por quem não tem outro jeito
de aliviar frustrações?
Seja política ou bola…,
só ganhar…, não os consola.
Têm mesmo que ofender!
Provocam, gritam, ofendem,
não desistem, nem entendem,
o mal que estão a fazer.
E se depois do que disse,
vierem com a patetice
de dizer…, não é assim…,
desistam! Eu não sou surda.
há p’ra aí gente, absurda,
muito oca. Mas enfim…
Contra um filho meu reclamo
respeitar o que não chamo
mesmo a um meu inimigo,
caso contrário, me aturam!
Sabem bem…, se me saturam
vão ter de ver-se comigo! 

Maria Letra
2013-05-28
Enviar um comentário