De velhas raizes minhas,

umas vivas, outras mortas,

retirei ervas daninhas

p’ra poder abrir mais portas.

Outros blogues:
http://www.worldartfriends.com/pt/users/maria-letra
http://www.recantodasletras.com.br/escrivaninha/

quarta-feira, 29 de abril de 2015

POUCA TERRA! MUITA GUERRA!

Há ruídos na floresta,
perturbando o ambiente.
Uma corrente, funesta,
rouba paz a um ror de gente.
Pouca terra! Muita guerra!

Desigualdade danada!
Uns estão de tudo atolhados,
outros sufocando em nada.
Há seres muito inconformados.
Pouca terra! Muita guerra!

Os ricos no mundo..., abundam!
Pretendem não ver as gentes
que, na miséria, se afundam
em cenários deprimentes.
Pouca terra! Muita guerra!

Passou a reinar o caos.
Já não há mais quem se entenda.
Os pobres viraram maus,
cada um que se defenda.
Pouca terra! Muita guerra!

Um lado insano, profundo,
gera guerra em todo o mundo!

Maria Letra
2015-03-04
Enviar um comentário